"Meu filho estuda no colégio..."

Muitos jovens são vítimas de erros de avaliação escolar, simplesmente porque não tiveram escolha, isso mesmo, foi negado a eles, o direito de escolher sua escola, antes por serem crianças pequenas, e não poderem avaliar sua relação com a escola depois porque os país precisam escolher, o que podem pagar, e o que vão dizer ao meio social em que vivem.Quando o problema é falta de  dinheiro, menos grave, porque é preciso estudar, e estudar onde pode ser pago, ou não.Mas a classe média que pode ter um poder de escolha mais amplo, faz sua escolha pelo status, onde ficar melhor para completar a frase:

"Meu filho estuda no colégio..."

 Esta frase de efeito poderoso irá determinar a escola dos filhos. Outras vezes é dado ao jovem a "permissão de escolha, e alguns escolhem pela "Grif", é sim, pela grif. A melhor é onde o amigo que é aquele que está por dentro, estuda, é lá que ele quer estudar.Em ambos os casos há um mesmo  engano, não fazem a pergunta:

"Onde me sentiria feliz?"e depois "Onde aprenderia melhor?"

Colégios rígidos para mentalidades livres e colégios livres para mentalidades rígidas não geram boa produção. Só se abrem os canais da receptividade, para o aprendizado, quando estamos felizes e relaxados. Regras impostas geram timidez ou rebeldia, regras entendidas geram reflexão e boa convivência.

Se seu filho ainda não está capacitado para escolher onde vai estudar, faça uma escolha cuidadosa, pense no que ele gosta, e, como ele é, o método x ou y, só funcionam se combinarem com ele, métodos tem aos montes, mas adequar  estes métodos ao aluno nem sempre acontece, observe seu filho ao entrar e ao sair da escola, ele vai tranquilo, ele saí feliz, o medo da escola tem época, passando de dois  meses ... é um caso para pensar...

Quando o aluno não consegue aprender primeiro é preciso ver se ele está no nível da escola, porque se não estiver não é a escolha certa, ele começa a se sentir humilhado, e inferior aos colegas, se une aos que ele considera iguais, e não se abre  mais para o aprendizado, fica difícil resgatar este aluno.Então não tenha pudores, escolha a escola onde seu filho se sente no mesmo nível, com o tempo todos verão que ele começará a querer mais, porque começará a ganhar auto confiança,não tenha medo do que os "amigos", vão dizer, se a escola de seu filho não for aquela tal tida como "puxada", até porque, isso não é sinal de aprendizado.

Certa vez fui a uma entrevista em um colégio de "nome", a diretora me recebeu com muita firmeza e me disse taxativa:

"Sabe eu levo está escola como eu eduquei meu filhos, ele é meu orgulho, ele segue seu caminho e vai longe, porque se precisar, vai  passar por cima de quem está na frente, porque ele é determinado e corajoso, e é essa mensagem que passamos para nossos alunos, aqui só fica quem é "bom", se não é a gente mostra logo que não pode ficar, porque o dinheiro dos pais tem que ser valorizado".

Isso é verídico!Essa senhora respeitável se dizia uma "Educadora".Passar por cima de quem está na frente serve para você e seu filho?...Para alguns com certeza não.

Então é isso, existem escolas que educam o saber e outras que empurram para um mercado cada vez mais competitivo e isso não significa que passar por cima seja a melhor tática.

A grande maioria dos estabelecimentos de ensino hoje visam mais o lucro ( ter lucro não é errado, mas não cumprir o papel...)do que a educação, muitos passam a ver o aluno como um cavalo vencedor ou um azarão, e querem a todo custo ganhar o prêmio.

Muitas escolas públicas tem qualidade, mas sofrem de carência de materiais, outras pior ainda, de carência de bons profissionais, que com baixos salários não conseguem se aprimorar.Faça o melhor que puder e se você é privilegiado e pode pagar, escolha certo e não escolha para completar com efeito aquela frase do início do texto:

"Meu filho estuda no colégio..."

Na hora de escolher a escola de seu filho faça isso junto com ele, e primeiro veja onde ele será feliz, porque ele vai passar mais tempo lá na escola do que em casa.